segunda-feira, janeiro 12

O Sorriso =]


Mais uma sexta - feira. Quase - fim de uma semana daquelas que a gente esquece de comer. Como se tudo que tivéssemos de fazer fossem bolas. Várias bolas. E ao tentar segurar uma, duas, três, quatro, cairiam as primeiras, pegamos e caem mais outras. . . daquele jeito. Indo pra faculdade, com Fabi (atrasadas. Ê novidade) vem um garotinho lá pelos seus 3 anos, caminhando feliz, sorrindo tão largamente com aqueles dentinhos e segura em minha perna. Olha pra mim mas numa felicidade tão grande... e sorri. Mas como assim? Sorri, simplesmente! Parecia dizer (que loucura minha) "Não se preocupe!". Ou sei lá, não tenho vocação para filosofar. Mas é que foi tão simples e tão... tão. Voltamos a caminhar.
- Porque será que ele estava tão feliz?
- Pra ele é simples, não tem uma vida cheia de preocupação como a nossa.
É. Talvez precisássemos despertar a cada dia, ou pelo menos de vez em quando, a criança dentro de nós. Péssimo, parece livro de auto ajuda.
Quero falar da capacidade de se surpreeder com as coisas, de não estar tão acostumado à tudo; Nem tão preocupado com tudo ou ao menos reconhecer o que é importante. De verdade.

Ps: dedicado à tudo aquilo que deixo de lado quando estou neste estado de transe universitário.

05/12/08

7 comentários:

  1. transe universitário.
    ótima expressão miga...ja acabou meu transe?e agora?e agora? e agora? rrsrsr t amo forebes!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Priscila Graziela15/1/09 9:12 AM

    Menina, menina... sua criança está mais viva que nunca. Ela trava guerras com esse adulto que você vê no espelho, que nem gente grande! As lembranças do passado são sem tão agradáveis... Voltar a ser criança, sem preocupações, quem não queria?

    Ótimo texto!


    Obs: acredito que as crianças sentem quando as "pessoas grandes" carregam uma boa energia.

    ResponderExcluir
  4. E ela achava que ninguém iria comentar... A gente sempre tenta, inventa, mas no fim... Tudo arrebenta

    ResponderExcluir
  5. Lendo seu post lembrei de um episódio que aconteceu comigo, bem similar a este seu.
    Trabalhava numa loja e entrou a vó e seu netinho (+ ou - 4 anos). Ele correu e abraçou minha perna. Eu fiquei sem jeito... pois ele não soltava mais. Só me olhava e sorria. Aí peguei ele no colo e aquele abraço me deu uma paz de espírito tão grande. Parece que só as crianças tem o poder de nos fazer este bem nos dias dificeis...
    Até hoje penso o pq da reação dele ao me ver, mas na verdade prefiro nem tentar entender.

    =]

    ResponderExcluir
  6. Que ótimo ! alguém já sentiu o que senti.. Não é uma sensação maravilhosa? Quem sabe pq as crianças carregam esse dom.. e depois quem fica com ele. Ou deixa se perder.. enfim..

    ResponderExcluir
  7. Não é auto-ajuda não. É simplesmente curtir mais a vida. Achei 10!

    Obrigado por visitar meu blog. Seja sempre bem-vinda por lá!

    abs,

    ResponderExcluir

Obr1gad4 P0r S0m4r Com a G3nt3! =)